Segurança da Informação: dicas e soluções para gestão de SI

segurança da informação corporativa: panorama, ameaças e como proteger sua empresa
A segurança da informação se tornou essencial para que as organizações mantenham seu sigilo com dados estratégicos. Saber como implementar adequadamente, portanto, é muito importante na atualidade.

A crescente utilização de meios digitais para armazenar informações diversas, as empresas mudaram sua maneira de enxergar a tecnologia. Sabendo da imensa quantia de dados reunidos, a necessidade de proteção também aumentou.

Pensando nisso, separamos informações para que sua organização possa implementar uma boa segurança de dados.

Afinal, perder a privacidade de informações é um risco inaceitável na era da informação, não é? Acompanhe nosso conteúdo e evite riscos!


>> Leia também: Aprenda a como se proteger contra vazamento de dados!


O que é segurança da informação (SI)? Entenda o conceito

Segurança da Informação (SI) nada mais é que a proteção de informações, sendo seu principal objetivo conservar a importâncias desses dados na organização. Consequentemente, a SI divide-se 4 pilares fundamentais:

  • Confidencialidade;
  • Integridade;
  • Disponibilidade;
  • Autenticidade.

O intuito, portanto, é restringir o acesso a determinadas informações somente a indivíduos autorizados. Consequentemente, garante-se que dados importantes de uma organização, sejam eles de vendas ou lucros, não caiam em mãos indevidas.

Mas por que se preocupar? Entenda a sua importância

O vazamento de dados em uma instituição séria pode comprometer a confiabilidade de seus serviços para com o público.

Isso acontece porque as informações mais exploradas nos ataques realizados são as dos clientes. A pesquisa da PwC Brasil mostrou que cerca de 46% das falhas de segurança comprometem esses registros, seguido de 44% nos dados internos da empresa.

Sendo a parte mais comprometida, as informações do público precisam estar devidamente seguras para que não ocorram prejuízos para a organização.

Além de bloquear o acesso a registros fundamentais para seu funcionamento, um ataque cibernético pode prejudicar fortemente a imagem da organização.

Por isso, investir em SI é uma obrigação para que uma empresa permaneça forte no mercado e internamente estruturada.

principais ameaças à segurança da informação empresarial

Quais são as ameaças a SI nas empresas?

Os aspectos que comprometem a segurança da informação em organizações são os mais diversos. Na verdade, os fatores compõem infinitas maneiras de prejudicar o sigilo dos dados, e alguns dos mais recorrentes precisam ser considerados.

O primeiro deles, sem dúvidas é o ataque de hackers. Muito comum por malwares, trata-se de uma forma de enganar o usuário com um programa que modifica o sistema e acessa dados importantes.

Geralmente, nas organizações o tipo malware mais comum é denominado ransomware. Esse tipo programa bloqueia o acesso às informações dos usuários a partir de uma senha, onde geralmente se pede um resgate para o desbloqueio dos dados.

Uma característica preocupante dos malwares, em geral, é a alta capacidade de discrição.

Como são softwares extremamente complexos, eles representam maior dificuldade de detecção, comprometendo as informações antes de serem identificados.

Algo curioso é que as ameaças à SI nem sempre são externas às empresas. Muitos criminosos utilizam de engenharia social para conduzir os próprios funcionários das organizações ao erro, fazendo com que compartilhem informações confidenciais.

Esses ataques podem ser feitos por avisos de ameaças, por exemplo — sendo que, muitas vezes esses avisos são os que comprometem os dados.

Assim, os criminosos exploram aspectos psicológicos para receber informações dos indivíduos e, posteriormente, realizar a invasão.

O Verizon Data Breach Investigations Report já indicou que cerca de 14% dos ataques são feitos de forma interna nas empresas.

Desta maneira, é preciso considerar também que a SI deve ser direcionada tanto para hackers e criminosos quanto para os próprios colaboradores. Tendo em vista a importância da confidencialidade, o controle de acessos é essencial para isso.

Exemplos de invasão: 3 diferentes casos de incidentes

Para se ter uma melhor dimensão dos níveis de ataques cibernéticos em empresas, é necessário avaliar casos reais que já ocorreram.

Vale ressaltar que nenhuma organização está isenta destas invasões, pois elas ocorrem em empresas de todos os portes.

O que impede de fato a perda de dados importantes é um sistema de segurança da informação altamente desenvolvido.

Claro que, quanto maior o tamanho da instituição, mais ataques serão direcionados para seus dados, mas isso não é uma regra.

Sendo assim, qualquer instituição sem uma SI adequada está sujeita à situações como as listadas abaixo.

1. Invasão à FireEye e SolarWinds

No final de 2020, a FireEye documentou um ataque às empresas simulando o software da SolarWinds, cujo objetivo era promover uma invasão global às outras organizações associadas.

O malware altamente sofisticado se disfarçava como uma atualização dos programas da companhia.

Ao ser instalado, o programa realizava comandos que permitiam o envio de dados, abertura de arquivos e até mesmo a reinicialização dos computadores.

Além disso, os setores afetados pelo malware foram os mais variados, desde órgãos governamentais até empresas de tecnologia. O incidente também foi documentado em diversos continentes, como América do Norte e Europa.

Para evitar este tipo de problema na organização, é importante identificar a fonte do software cujo usuário deseja instalar. Muitas vezes, o malware possui aparência semelhante ao programa original, mas provém de um site não-oficial.

2. Netshoes: 1 milhão de dados dos clientes vazados

Como mencionamos, os principais alvos dos ataques são os registros de clientes, especialmente em organizações como a Netshoes. Nesse caso, listas com nomes e CPFs de mais de 1 milhão de clientes foram acessados pelos hackers.

O incidente foi confirmado em 2018 pela empresa, e o vazamento de dados ocorreu por um dos meios de engenharia social, o phishing.

Neste caso, os usuários receberam e-mails e páginas falsas, idênticos aos originais. Consequentemente, ofereceram dados aos criminosos e tiveram suas informações, como RG, CPF, data de nascimento e código de ordem vazadas.

Os criminosos tentaram extorquir a empresa, em troca dos dados. A Netshoes, por sua vez, informou oficialmente que informações bancárias não foram vazadas, embora a situação tenha comprometido a segurança de seus clientes.

3. Ataque ao maior oleoduto dos EUA

Em maio de 2021, a empresa Colonial, uma das maiores redes americanas de oleodutos, sofreu um ataque que desconectou a rede e tomou mais que 100GB de dados da organização.

Para se ter uma ideia, alguns analistas indicaram que o valor dos combustíveis subiria entre 2% e 3% no país, como decorrência da invasão.

O ataque foi realizado por hackers que se nomeiam DarkSide, e para conter a invasão, a empresa acabou por interromper seus serviços. Consequentemente, houve um alto prejuízo para a empresa e para o serviço dutoviário do país.

Os hackers, por sua vez, exploraram brechas de segurança devido ao constante acesso dos profissionais ao serviço.

Como diversos engenheiros acessavam remotamente o sistema, foi possível invadi-lo e controlar os oleodutos da empresa.

Após tentar diversas combinações de login, os criminosos puderam acessar os portais e desenvolver seu golpe. Como ocorre ocasionalmente, o grupo solicitou regate pelas informações, caracterizando um ataque de ransomware.

As organizações que trabalham com esses ataques estão cada vez mais complexas e especializadas. Consequentemente, as organizações públicas e privadas precisam ter uma SI altamente desenvolvida para não correr riscos tão grandes.

rotinas e cuidados para aumentar a segurança dos dados na empresa

Gestão da segurança da informação: dicas e boas práticas

Para garantir a segurança da informação em uma empresa, é muito importante desenvolver um conjunto de práticas que a favoreçam.

Isso porque embora muito importante, a SI depende completamente de um bom comportamento por parte dos usuários.

A gestão da segurança da informação, desta maneira, surge para garantir que as brechas para hackers sejam minimizadas. Confira as principais dicas e práticas para implementá-la em sua empresa.

1. Crie uma Política de Segurança da Informação (PSI)

Uma PSI ou Política de Segurança da Informação é a adoção de padrões e normas comuns aos colaboradores, cujo objetivo é favorecer a segurança da informação.

O resultado é que essas regras favorecem o funcionamento dos sistemas de segurança e eliminam possíveis brechas causadas pelos próprios colaboradores, como ocorreu na Colonial.

É importante, portanto, planejar, elaborar e implementar atividades que mantenham os dados mais importantes acessados somente por usuários responsáveis.

Essas normas também facilitarão ações contra ataques que possam ocorrer, partindo de um protocolo elaborado pela própria empresa.

2. Atente-se ao gerenciamento de identidades e acessos (IAM)

O IAM garante que somente usuários privilegiados acessem determinadas informações. É fundamental manter esse gerenciamento otimizado para garantir total controle sobre quem possui acesso aos dados.

Isso porque caso a empresa não saiba ao certo quem possui acesso às informações, é muito mais difícil identificar por onde estão ocorrendo vazamentos, para então impedi-los.

O gerenciamento de entidades e acessos, portanto, possibilita que a empresa visualize e restrinja os dados somente a quem for necessário. Desta maneira, os ataques internos podem ser prevenidos.

3. Realize backups automáticos

Os backups são uma excelente forma de prevenir a perda total de dados em casos extremos. Por outro lado, realizar backups manualmente pode ser perigoso, já que todas as informações serão movimentadas e visualizadas.

Ao programar backups, as informações salvas se mantém atualizadas sem a necessidade de um acesso. Além disso, o processo automático otimiza o tempo e garante que menos usuários tenham acesso aos dados.

4. Monitoramento e resposta a incidentes com um SOC

Identificar e responder de forma àgil a possíveis incidentes é muito importante para garantir a segurança da informação. Neste aspecto, um SOC (Security Operations Center) pode fazer toda a diferença, promovendo:

  • A prevenção de possíveis incidentes;
  • A rápida detecção de problemas e brechas de segurança nos sistemas;
  • Respostas e ações após a detecção de falhas ou ataques;
  • Monitoramento constante de vulnerabilidades e atividades que representem riscos à SI.

O SOC facilita a gestão e promove as vantagens listadas acima porque reúne todas as informações relacionadas à segurança. Desta maneira, é possível desenvolver uma visualização aprimorada das atividades e rapidamente agir diante de problemas.

Conte com o SOC da Yssy para Monitoração e Resposta à Incidente. Entre em contato e conheça!

5. Conte com uma estrutura baseada em nuvem

O armazenamento em nuvem representa maior interatividade entre os dispositivos da empresa, e, ao mesmo tempo, maior segurança a eles.

Isso, porque as informações serão armazenadas em data centers espalhados pelo mundo.

Assim, as informações na empresa podem ser melhor visualizadas e interagir constantemente.

Outra vantagem é que o hardware para a armazenagem estará localizado em outro local, não na organização, dificultando acessos indevidos, já que se torna mais difícil localizá-los.

6. Faça uma gestão eficiente de endpoints

Os endpoints ou em português pontos de extremidade são, na segurança da informação, dispositivos como:

  • notebooks;
  • tablets;
  • smartphones;
  • computadores;
  • rádios;
  • entre outros.

Como são os aparelhos conectados à rede, é fundamental identificá-los e gerenciá-los para obter controle acerca dos acessos.

Um sistema de segurança de endpoints pode identificar de forma otimizada as brechas de segurança presentes nos dispositivos.

Assim, é possível acompanhar o status dos antivírus, como suas atualizações e diversos aspectos de segurança, de maneira centralizada e eficiente.

Leia também:

mecanismos e soluções para segurança da informação

Soluções em segurança cibernética para gestão de SI

Para promover uma gestão eficiente de segurança da informação na empresa é muito importante contar com ferramentas que possibilitem o processo.

Desta maneira, embora a PSI seja obrigatória para a manutenção da segurança, contar com softwares próprios para a proteção é uma parte complementar desta tarefa.

O primeiro passo para promover segurança aos dados, portanto, é a identificação. Nesse sentido, contar com um Cyber Diagnosis é vantajoso para uma busca minuciosa por brechas e identificação de problemas.

Para evitar vazamentos de dados na web, é importante proteger o site da empresa, considerando que as informações de muitos dos clientes passam por lá.

Avaliar a segurança do código-fonte e da vulnerabilidade do site é possível a partir da solução de Segurança de Aplicação que fornecemos. Essa solução permite maior facilidade no monitoramento de aspectos mais específicos do site.

Sem deixar de lado o funcionamento interno de segurança da informação, a solução de Segurança de Infraestrutura favorece os dados mais sigilosos da instituição.

A partir dessa ferramenta, é possível desenvolver um melhor SOC e proteger os dados confidenciais de processos internos. Para planejar e otimizar os data centers da organização, é fundamental partir dessa ferramenta atualizada.

Se até mesmo as maiores organizações do mundo falham muitas vezes na proteção de seus dados, isso é um indício da necessidade de se investir mais em segurança da informação.

Por isso, não espere que incidentes gerem grandes prejuízos para que sua empresa passe a otimizar sua segurança!

Conheça as Soluções em Segurança Cibernética da Yssy!